Quadro de Distribuição Residencial: o que você precisa levar em conta antes de iniciar a montagem?

Planejamento e boa execução são essenciais para o sucesso da instalação

 

 

 

Fazendo uma analogia o corpo humano, pode-se dizer que o quadro de distribuição de energia é tão importante para uma residência quanto é o coração para uma pessoa.

 

Além do óbvio paralelo entre cabos e artérias/veias, o correto funcionamento e os cuidados de prevenção são essenciais para a vitalidade de ambos. Os sinais emitidos – positivos e negativos – dizem muito sobre o estado de conservação.

 

As comparações mostram que, diante de tamanha responsabilidade, precisamos cuidar dos quadros de distribuição residencial com a mesma dedicação e atenção que damos à nossa saúde.

 

Até porque um não está desassociado do outro: um quadro elétrico mal planejado, montado e conservado aumentará significativamente as chances de acidentes que podem, vejam só, colocar a saúde das pessoas em risco.

 

Os cuidados começam desde e o planejamento e é por isso que a STECK, líder no fornecimento de materiais elétricos no Brasil, lista abaixo o que é preciso levar em conta antes de iniciar ou solicitar a montagem de um quadro elétrico.

 

Valorize projetos bem planejados e executados

 

Seja em um imóvel a ser erguido do zero ou uma reforma, o planejamento é fundamental para o sucesso de qualquer intervenção na instalação elétrica porque é o momento de mapear as necessidades e os procedimentos.

 

Infelizmente, muitas pessoas na pressa de concluir a obra acabam priorizando uma execução rápida sem levar em conta as necessidades atuais e até mesmo futuras do projeto, deixando para trás até mesmo procedimentos obrigatórios”, explica Ricardo Martuchi, especialista de produtos da STECK. “Não é apenas ligar e colocar para funcionar: é preciso também seja eficiente e tenha a proteção adequada para não ficar obsoleto em pouco tempo”, completa.

 

Cada projeto é único

 

Se retomarmos a analogia inicial, da mesma forma que ninguém é fisiologicamente igual a outra pessoa, o mesmo ocorre com os quadros elétricos. Podem haver muitas similaridades, mas cada quadro é único e desenvolvido conforme a necessidade dos moradores daquele local.

 

A quantidade e a metragem de cômodos, o número de moradores, os aparelhos eletroeletrônicos e a rotina da residência são alguns dos fatores a serem considerados na equação, o que cria necessidades diferentes a cada projeto” explica Martuchi.

 

Priorize a segurança

 

Se por um lado a variedade de opções de materiais elétricos no mercado promove uma saudável concorrência de soluções, também é neste espaço que podem proliferar soluções sem qualquer respaldo de garantia e qualidade.

 

A dica, segundo Vittorete, é pesquisar sobre o produto e a marca antes da compra. “Nunca use equipamentos cujas embalagens e carcaças não indiquem conformidade com as normas nacionais e internacionais, além da ausência de certificações de qualidade como a do Inmetro”, orienta o engenheiro.

 

Busque profissionais qualificados

 

Não adianta ter o melhor e mais abrangente projeto e os equipamentos mais seguros do mercado se a instalação for mal executada ou, pior, mal executada e ainda colocar o ‘instalador-morador’ em risco durante e após a instalação.

 

Por mais consciente que uma pessoa não profissional seja sobre os princípios da elétrica, o quadro é totalmente diferente de instalar uma tomada ou trocar uma lâmpada.

 

O auxílio profissional é a garantia de uma instalação bem executada por pessoas qualificadas com as ferramentas adequadas e em conformidade com as normas brasileiras”, completa Martuchi.

Últimas Notícias